PRECE PELA RESIGNAÇÃO
(Perante os males da vida)

Pai, sei que me concedestes para
 esta vida o que tinhas de melhor, visando o meu bem e o meu adiantamento espiritual.
 No entanto, como me é difícil,
às vezes, compreender isso; como me custa carregar a cruz que
puseste em meus ombros, confiando em minhas forças
 e em minha fé!... 
 Diante da provação, demoro a perceber os benefícios da dor ao meu
 espírito imortal e então vacilo e me enfraqueço,
 perante meus maiores inimigos que são a mágoa e a falta de resignação... 
Sei que preciso aprender que
 o corpo material que hoje me tortura e me impõe impedimentos de
toda ordem é porta de redenção aos débitos contraídos no passado, 
quando de posse de saúde perfeita e privilegiada compleição física; 
que o lar onde colho sofrimentos e lágrimas
 é o campo sagrado que devo cultivar hoje, para que me seja o 
formoso jardim do amanhã; 
que na rua onde me sobressalto
 e me escandalizo estão minhas fugas e meus delitos de
ontem, a me pedir por isto mesmo maior misericórdia
 e compreensão; que o vizinho inoportuno, 
o amigo inconveniente; o trabalho repetitivo; 
o chefe rude e o colega insensato 
são os mestres que colocaste em
meu caminho para que eu aprenda distinguir com mais clareza a 
necessidade da clemência, o imperativo da tolerância e a virtude 
inequívoca da paciência...
Por isso rogo, 
Senhor, concede-me o desprendimento necessário 
para assimilar mais esta lição, 
e boa vontade o bastante para aplicá-la, 
doravante, em meu dia-a-dia.
Ampara-me, 
Pai Amado, e guarda-me de complicar meu 
caminho abrigando no coração a mágoa, 
o desalento, o desespero, o medo e o rancor, 
para que minha alma prossiga sempre em frente, em radiante espontaneidade,
 rumo à glória infinita de Teu Amor!

Assim seja!